segunda-feira, 17 de outubro de 2016

映画プリキュアオールスターズみんなで歌う♪奇跡の魔法! - Precure All Stars O Filme - Cantando com Todos - A Magia Milagrosa!


Terminei de ver 映画プリキュアオールスターズみんなで歌う♪奇跡の魔法!(PRECURE ALL STARS Minna de utau Kiseki no Mahou, algo como "Cantando com Todos, a Magia Milagrosa!"). Abaixo segue um resumo e impressões.

Obs.: contém informações sobre os rumos da trama.



Mirai (Cure Miracle) e Liko (Cure Magical), as Maho Girls Precure, são aprendizes de feiticeiro no Mundo da Mágica e vêm ao mundo dos humanos (chamado de "Mundo Não-Mágico") junto com a mascote Mofurun. Ao ser atraída pelo aroma de algo doce, Mofurun corre e acaba trombando com Haruka, Minami, Kirara e Towa, as Go! Princess Precure, que vieram para fazer o Hanami (contemplação das flores de cerejeira) junto com todas as Cures. Os dois grupos se encontram e logo todas se tornam amigas. Por um momento, Haruka é envolta em trevas e de repente surge a Bruxa Dyspear, que fora derrotada pelas Princess Precure.

Surge Dyspear, que já tinha sido derrotada. Só que a voz não é de Yoshiko Sakakibara...

Isso tudo é um plano da Bruxa Sorcière e seu servo Trauhma para capturar todas as Precure e extrair lágrimas delas, que são o ingrediente final para uma magia poderosa. Mas Trauhma parece ter outros planos...

A Bruxa Sorcière, que deseja obter a maior magia de todas.
Trauhma, o Apóstolo da Magia, que serve Sorcière. Ao menos aparentemente.

As Cures são mandadas para outra dimensão e as Maho Girls são separadas uma da outra, tendo que enfrentar os inimigos mais poderosos da franquia. Mas elas terão a ajuda de suas antecessoras que lhes mostrarão o que é ser Precure.

Desta vez os inimigos são cópias dos últimos chefes de cada série.
Um pode se tornar algo maior que a Terra. O outro é mais antigo que a criação e já destruiu o mundo.
Ainda bem que são só cópias.

O Melhor de cada um


Este filme é o 20º da franquia e o oitavo da série All Stars, em que são reunidas todas as personagens, que rendeu duas trilogias. Na primeira trilogia, a DX (Deluxe), a história é centrada nas Precure, que têm de enfrentar uma grande ameaça. Nos filmes da trilogia New Stage, o foco é nos personagens convidados, que enfrentam problemas com a ajuda das Cures. Este filme é uma mistura das duas séries, com as heroínas enfrentando um inimigo poderoso e ao mesmo tempo ajudando uma personagem a resolver seus conflitos.

O roteiro desta vez ficou por conta de Isao Murayama, que exerceu a mesma função na trilogia DX e é compositor da série atual, 魔法使いプリキュア! Mahou Tsukai PRECURE, que tem o título romanizado Maho Girls Precure!). A direção é de Yutaka Tsuchida, que já participou de Suite PrecureSmile Precure!, e também em Maho Girls, sendo mais conhecido por episódios cômicos. Porém desta vez ele mostrou seu lado mais voltado ao drama e à luta.

Optou-se por fazer a história centrada em Mirai e Liko, as protagonistas da série corrente, tendo em vista que o público-alvo são as crianças, que provavelmente não conheceriam as personagens mais antigas de quase dez anos atrás. Por esta razão as Princess (2014), as Happiness Charge (2013) e as Doki Doki (2012), de séries mais recentes, com as quais haveria proximidade maior, têm bastante tempo de tela e com falas para todos os membros de cada grupo.

Cure Miracle se encontra com as Happiness Charge Precure.
E Magical com as Doki Doki Precure.

Devido ao número elevado de heroínas (existem 44 delas) não foi possível dar falas a todas e pelos motivos citados acima, o jeito foi colocar que todas foram capturadas por Sorcière. Em compensação elas se movem bastante na luta final.

As Cures mais antigas são mostradas já capturadas por Sorcière. Felizmente algumas delas têm falas.
- Quanta valentia, Srta. Black.
Não tem nada de intencional, mas Trauhma se refere a Nagisa como "Black-san", o que rende uma boa piada.

Mesmo assim existe espaço para personagens de séries mais antigas. Cure Miracle se encontra com as Cures de rosa de Fresh!, Heartcatch!, Suite e Smile!, que aparecem bastante, com direito a um medley das músicas de transformação de cada uma quando elas se apresentam e ainda por cima interpretadas pelas dubladoras originais, Kanae Oki, Nana Mizuki, Ami Koshimizu e Misato Fukuen.

Também marca presença a Cure Echo, que apareceu apenas nos especiais de cinema Precure All Stars New Stage 1 e 3, com bastante participação e com a voz original de Mamiko Noto. Ela surge diante de Cure Magical para lembrar-lhe do motivo dela lutar.

As Cures de rosa de Atsutoshi Umezawa reunidas! Essa já valeu a compra do disco!
Cure Echo, junto com Cure Flora. Uma combinação inesperada.

Neste filme é usado o formato de um musical, com várias inserções com os personagens cantando e dançando durante a história. Esse elemento foi usado no filme anterior, 春のカーニバル (Haru no CARNIVAL, algo como "Carnaval da Primavera"), que foi bastante experimental ao apresentar clipes com as Cures dançando em computação gráfica e sem muita história ou luta, e que foi feito desse jeito pois o que estava em alta eram obras sobre Idols, como Aikatsu ou PriPara, e também devido ao sucesso de Frozen no Japão.

Desta vez isso é feito com competência, sendo que nos números musicais os sentimentos das personagens são bem representados pelo tom da canção, seja ela alegre, melancólica ou heroica. A primeira cena causa certa estranheza, com os personagens, incluindo os de cenário, repentinamente cantando e dançando, mas depois as cenas se tornam mais naturais e é através das canções que a história se desenvolve.

Número com Sorcière e Trauhma explicando seu plano. Um dos favoritos dos atores.

Apesar dessas inserções musicais, existem muitas cenas de luta. De fato, elas ocupam a maior parte do filme, com bastante intensidade e até efeitos mostrando as personagens de forma tridimensional. Quando as Maho Girls Precure foram anunciadas, pensou-se que elas iriam usar mais a magia, já que elas seriam "Feiticeiras Lendárias" ao invés de "Guerreiras Lendárias". Mas não foi bem assim. Elas continuam a usar os bons e velhos socos, chutes e arremessos como nas Precure de até então.

A boa e velha magia Precure: luta corporal.
Pura Mágica (leia-se "ataque físico").
Não dá para mostrar na foto, mas apesar de estática, esta cena tem efeitos tridimensionais,
com a câmera circundando os personagens.
Retransformação para a Sapphire Style. Azul, dá poder de voo e é ágil.

Apesar do tema um tanto melancólico, existem cenas cômicas, principalmente com os mascotes. Isso ajuda a aliviar a tensão, fazendo com que o filme seja mais confortável para as crianças. E elas são colocadas de forma bastante apropriada, sem quebrar o ritmo do filme. As piadas são dinâmicas, rápidas e digestivas, como é uma das premissas da franquia, com situações em que não é preciso pensar muito para se dar risada. Erika (Cure Marine) continua sendo a alma da festa, com caras e bocas muito engraçadas e várias falas. Uma pena que desta vez não houve um diálogo dela com Hime (Cure Princess), que foi um dos pontos altos do filme anterior.

Isso é um disfarce, Mofurun?
Essa já valeu a compra do disco! - Parte 2
Erika sendo... Erika!

Também foram trazidas de volta as Miracle Lights (Luzes Milagrosas), que foram abolidas no All Stars anterior e retornaram no especial de cinema de Go! Princess Precure. Nesta cena é possível encontrar personagens secundários das séries.

Como é de praxe, os Mascotes usam as Luzes Milagrosas.
Seiji, o herói de Happiness Charge Precure! se junta à torcida! E na frente do Oomori Gohan!
Yui, de Go! Princess Precure. Pena que eles não têm falas.
Desta vez até as Precure usam as Luzes Milagrosas!

A luta final é apoteótica. Um grande espetáculo visual, digno de um especial de cinema. É certo que existem várias partes em computação gráfica com queda no número de quadros e a modelagem de Sorcière não ficou muito boa, mas em algumas cenas é preciso prestar atenção para perceber.

É hora da revanche!
Saraivada de mísseis com música ao fundo.
Só percebi que essa parte era CG ao congelar a cena.
Cure Echo também luta.
E pela primeira vez participa da dança de encerramento em computação gráfica.


Eu já vi esse filme... mas desta vez é melhor


O argumento básico é surpreendentemente parecido com o de Ultraman Ginga S The Movie - Confronto Decisivo! Os 10 Heróis Ultra, assim como os poderes dos vilões, de materializar os últimos chefes de cada série, baseando-se nas memórias das heroínas. Ainda, tem o fato de Trauhma usar Sorcière para atingir seus objetivos, como Etelgar fez com Alena. E estão presentes até elementos que foram rejeitados no roteiro inicial do filme de Ultraman Ginga S, como Mirai e Liko serem separadas. Mas existe uma diferença vital: A Magia Milagrosa tem uma condução melhor, aproveitando bem o tempo.

São explicadas as motivações de Sorcière e Trauhma, assim como seus objetivos finais. Sorcière quer ressuscitar sua mestra, que morreu sem lhe ensinar a magia mais poderosa de todas e saber por que ela nunca fez isso. Já Trauhma planeja destruir o mundo, revertendo-o para o vazio e se aproveita da jovem feiticeira para cumprir seu intento.

Sorcière é uma boa personagem, com um passado triste e motivações fortes. Além de antagonista, pode-se dizer que ela também é uma das personagens principais do filme e um dos elementos que sustentam a trama. Tanto que a segunda metade do filme é sua história. É dedicado tempo o suficiente para que se possa ter simpatia por Sorcière e com isso a sua salvação traz catarse.

O triste passado de Sorcière.


Vilões Especialmente Convidados


Para representar os vilões, foram chamados atores profissionais que trabalham com teatro, especialmente musicais: Seiko Niizuma como Sorcière e Koji Yamamoto como Trauhma.

Niizuma é atriz e cantora de renome, chamada de "O Tesouro dos Musicais do Japão", e isso não é à toa. Dona de uma voz forte e aveludada, Niizuma tem uma carreira sólida, baseada puramente em seu talento e habilidade, que ela demonstra ao participar de vários programas e peças musicais, entoando com desenvoltura canções tanto ocidentais quanto orientais, desde temas de A Noviça Rebelde, passando por O Fantasma da Ópera, por canções pop como Aitai (de Chikako Sawada) e até mesmo a Shima Uta, de Okinawa. Ela executa bem seu papel no filme, tanto na interpretação como na música, que canta de forma avassaladora, envolvente, especialmente na luta final.

Yamamoto é um ator de currículo extenso e trabalhou em novelas de época, como 新撰組!(Shinsengumi!) da emissora estatal japonesa NHK, na qual ele foi Toshizo Hijikata, e na atual, 真田丸 (Sanada Maru), em que ele interpretou Mitsunari Ishida. O ator é fã de Dragon Ball e usa os personagens da série para compor seus personagens, sendo que para fazer Hijikata, ele se inspirou em Vegeta. Desta vez, Yamamoto mencionou que seu personagem ficou com uma voz parecida com a de Freeza, embora essa não fosse sua intenção. Ele conseguiu interpretar Trauhma magistralmente, ora de forma cômica, ora como um manipulador inescrupuloso, ora como uma fera bestial, sem exageros e com o tom certo.

A produção musical ficou por conta de Yukinojo Mori, veterano letrista, compositor e poeta que trabalhou em várias canções de J-Pop e Kayoukyoku e também com Anison e Tokuson, que às vezes assina como Joe Lemon. Entre seus trabalhos está Jajauma ni sasenaide, de Ranma 1/2, CHA-LA HEAD-CHA-LA de Dragon Ball Z e Amarylis, da dupla de cantoras Wink. Foi ele também quem fez as letras dos números musicais do filme.

Nos filmes anteriores eram convidados artistas que tinham maior apelo entre o público jovem, só que muitas vezes não conseguiam cumprir seus papéis adequadamente, com interpretações fracas. Mas desta vez foi chamado pessoal com talento e currículo comprovados e o resultado foi excelente.


Recuperando a Identidade


Com tudo isso, Precure All Stars recuperou sua identidade e ainda conseguiu incorporar novos elementos. Ela resgatou as cenas de luta, trouxe de volta as Luzes Milagrosas, fez misturas de times e tudo isso dentro do formato musical, com atores de renome. É interessante notar que números musicais eram comuns em antigas obras de animação da Toei, como A Grande Aventura de Horus, o Príncipe do Sol, também por influência da Disney. A história se repete mais uma vez nos tempos atuais.

O formato "All Star" é usado pela Toei já faz bastante tempo em filmes de samurai, conforme conta Tohru Hirayama, lendário produtor que participou da criação de vários heróis da empresa, incluindo Kamen Rider e Super Sentai. Segundo ele, em um filme "All Star", todas as cenas devem ser memoráveis e todos os atores têm de aparecer com destaque em alguma delas. A Magia Milagrosa segue essas diretivas, mesmo que a grande maioria das heroínas não possua falas, mas mostrando suas personalidades através de expressões e movimentos.

E ainda, existe uma passagem de legado, não só entre as Maho Girls Precure e suas antecessoras, como também entre Sorcière e sua falecida mestra. Na verdade, a magia mais poderosa de todas já havia sido passada para Sorcière. Ela nunca se deu conta disso e Mirai e Liko a ajudam a perceber a verdade.

Cena clássica de Precure All Stars.
A passagem do legado entre as Precure (ao menos em termos...)
E entre Sorcière e sua Mestra.

Como em todos os anos, é dito que este pode ser o último filme do tipo All Stars, devido ao número elevado de personagens, sendo impossível dar vozes para todas elas. Se for assim, digo que este foi um ótimo resumo da obra. Um filme completo, que cumpre bem sua premissa, ainda que diante de muitas dificuldades. Não é o melhor, mas consegue ser um grande filme e que encerraria a série All Stars com chave de ouro.


Nos Bastidores



Junto com o disco estão incluídos cartões com cenas do filme e um livreto com uma entrevista com o produtor Go Wakabayashi e o roteirista Isao Murayama.

Segundo eles, o grande tema do filme é a "comunicação" e a "expressão de sentimentos". A música seria o melhor meio de se fazer essa expressão e daí o motivo de se fazer um musical. Eles mencionam em especial a 魔女の子守歌 (Majo no Komoriuta, "Canção de Ninar da Bruxa"), que é a chave para que Sorcière descubra as intenções de sua Mestra. A razão para se usar uma canção de ninar é porque esta seria a primeira música que uma pessoa ouve na vida e a primeira mensagem que uma mãe passa para seus filhos.

Outra intenção era a de mostrar que ser Precure não é algo fácil e de fato Mirai e Liko esmorecem no meio do caminho. Mas é com a união e a ajuda das outras Cures que elas irão se desenvolver para então salvar as antecessoras que foram presas. E esse crescimento seria transmitido a Sorcière, ajudando-a a superar seus conflitos.

Wakabayashi e Murayama têm ciência de que a história de Sorcière é um pouco difícil para crianças entenderem, mas fizeram assim por acreditarem que um dia, se reverem o filme, elas compreenderão a mensagem que eles quiseram passar.

Com isso pude perceber quanto sentimento eles colocaram para fazer este filme. E posso dizer que suas intenções foram cumpridas.



Se tudo der certo, o próximo filme que comentarei será este:

2 comentários:

  1. Essas histórias "All Stars" são bem legais pela grandiosidade e a sensação de ver a união de grandes personagens (e pelo visto nesse Precure All Stars há um forte história de sentimento envolvido também). Mas sempre há esse problema de ter um excesso de personagens legais, e algumas acabam não recebendo o espaço que a gente esperava. É o que acontece até nas HQs com grupos como X-Men, eu queria tanto que a Rogue aparecesse mais :(

    Parece que os japoneses gostam mesmo de Frozen! Eu achava que eram só as figuras como figma e Nendoroid, mas até filmes já estão usando elementos hehehe. Aliás parece que atualmente há uma forte influência entre os mercados ocidentais e orientais. Dá pra ver que obras como One Punch Man e Boku no Hero Academia têm uma influência ocidental bem forte, enquanto que no mercado de HQs ocidentais vemos cada vez mais artistas com traços que lembram mangás.

    Bacana o CG, lembra bastante o visual de games como Guilty Gear Xrd, aquele CG que nem parece CG. Nunca vou entender a implicância que o pessoal tem com CG em animes.

    Nossa, Nana Mizuki e Ami Koshimizu juntas é para fazer o coração pular! Na verdade, é para fazer o coração explodir, pois vejo que tem aquela personagem da Miyukichi!! O nariz chega a sangrar como o Mestre Kame hehehe!
    O elenco é surpreendente! Seiko Niizuma canta muito! Fiquei curioso pra ver ela como dubladora.

    Acho que muitos desenhos guardam essas mensagens que percebemos quando crescemos. É bacana ver como o pessoal por trás desses projetos pensa em como as pessoas vão crescer junto com essas as histórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Ronin!

      Agora que eu me liguei que todas elas estão reunidas neste filme. E a personagem da Miyukichi tem várias falas e ainda canta uma frase em solo na música de abertura. Seiko Niizuma é fascinante! Vi um trecho de uma peça de teatro em que ela participa e realmente é excelente. Como profissional, ela não poupa nada neste filme também.

      Sentia bastante esse problema do "All Stars" em Transformers, em que muitos que tinham personalidades interessantes acabavam se tornando personagens de cenário. Mas por experiência própria digo que fazer um desses é jogo duro! As equipes que fazem Ultraman e Precure conseguem fazer um bom trabalho, mas nem elas aproveitam todos os personagens por falta de espaço.

      CG é uma coisa que pode ajudar bastante se bem usado. A implicância me parece ter mais motivos fundamentalistas do que práticos. Foi assim nos anos 1990 quando inseriram os poligonais nos jogos de luta e vejo algo assim agora também nos animes.

      A série anterior, Go! Princess Precure teve forte influência de Frozen, mas conseguiu desenvolver algo próprio e acho que isso é o mais importante nessas trocas culturais. Vejo vários casos em que ficam só na imitação, sem acrescentar coisas novas, tanto em obras ocidentais quanto em japonesas.

      Em um outro filme, vi que a mensagem tem que ser encaixada no contexto para ter efeito. Senão não adianta e parece um monte de palavras sem sentido. E tem que ser algo que passe a ser entendido quando as crianças que viram crescerem. É nesse ponto que Ultraman e Precure têm sucesso enquanto outros falham.

      Excluir