domingo, 6 de março de 2016

劇場版仮面ライダーオーズ WONDERFUL 将軍と21のコアメダル - Kamen Rider OOO - O Filme - WONDERFUL O Shogun e as 21 Core Medals



Outro filme que vi no Carnaval foi 劇場版仮面ライダーオーズ WONDERFUL 将軍と21のコアメダル (em uma tradução rudimentar, "Kamen Rider OOO - O Filme - WONDERFUL O Shogun e as 21 Core Medals"). Abaixo segue um resumo e impressões.

Obs.: contém informações sobre os rumos da trama.



O filme começa com uma escavação na Alemanha, feita pela Fundação Kougami, supervisionado por seu próprio CEO, o excêntrico Kousei Kougami, que busca pelos restos de um dos alquimistas que criaram as O-Medals há oitocentos anos atrás, e que teria a habilidade de gerar as mais poderosas delas. Esse alquimista, Gara, foi selado pelo OOO (pronuncia-se "Os"; "Rei") da época que temia por uma possível rebelião, e desde então jurou vingança. Gara acaba se libertando e conjura um feitiço que faz com que uma área circular ao seu redor se vire como uma medalha e troque de lugar com uma parte da cidade de Tóquio, no Japão.


Eiji Hino (Kamen Rider OOO) e Ankh presenciam isso a vão investigar, mas são atacados pelos soldados de Gara. Eles revidam, junto com Akira Date (Kamen Rider Birth), mas são derrotados pelo alquimista, que lhes rouba as medalhas que são a origem de seus poderes e faz o mesmo com os Greeeds que também vieram, atraídos pela presença de Gara. Nisso, eles encontram um menino, Shun, em estado de choque segurando uma bolsa de mulher...

Shun Wakaba (Taiki Negishi)
O Alquimista Gara (Miki Sakai)
O excêntrico e carismático Kousei Kougami (Takashi Ukaji, que também trabalhou em Ultraman Gaia)

Sim ou Não?

Gara aprisiona Kougami em seu castelo e inicia seu plano para se tornar o novo OOO, o Rei do Mundo. Ele cria pequenas servas, as Bell, que vão à cidade e fazem aos seus habitantes uma estranha proposta: ganhar cinco milhões de ienes, mas em troca ter de usar um penteado estilo "samurai" pelo resto da vida, sendo necessário apenas responder "sim ou não".

Bell (Karin Ogino, que mais tarde seria Yuko Yamada/Yuko Yokoyama/C.N.: Yumeria Moegi, a Akiba Yellow em Akibaranger)

Várias pessoas respondem "sim" a essa Pergunta da Tentação e isso vai gerando Cell Medals, instrumentos que alimentam um engenho construído por Gara, que permitirá que ele cumpra seu intuito de destruir o mundo e criar um novo. Ao reunir uma quantidade delas, Gara mais uma vez faz uma área circular de Tóquio virar e trocar de lugar.

Eiji, Ankh e Hina são pegos nessa área e vão parar em uma cidade no período Edo, durante o Shogunato Tokugawa. Os povos de ambas as épocas entram em conflito, gerando uma enorme confusão. Eiji tenta conciliar ambos os lados, mas é atacado por um monstro criado por Gara, o Nue Yummy, que traz soldados consigo. Sem contar com os poderes de OOO, Eiji usa o cinto do Kamen Rider Birth que estava caído por perto, e luta para defender as pessoas.

Eiji com o traje do Kamen Rider Birth. A pose é a mesma do OOO e até o dublê é o mesmo, Seiji Takaiwa.
Ele consegue repelir a ameaça, mas a desconfiança do povo de Edo aumenta ao ver sua transformação e fazer com que pensem que Eiji também é um monstro. Nisso um homem intervém em favor de Eiji ao ver que ele usou seu próprio corpo para proteger o povo. Esse homem é Shinnosuke Tokuda.

Shinnosuke Tokuda (Ken Matsudaira), aparentemente um homem comum. Sua verdadeira face é...


O Shogun Destemido

Em 1978, a Toei lançou 暴れん坊将軍 (Abarenbou Shougun, algo como "O Shogun Destemido"), seriado Jidaigeki (literalmente, "Drama Histórico", que engloba os filmes e seriados de samurai) que conta a história de Yoshimune Tokugawa, o 8º Shogun da dinastia, que saía de seu castelo para ter contato com o povo e verificar se tudo estava em ordem. Nisso, ele assumia a identidade de Shinnosuke Tokuda, terceiro filho de um funcionário de baixo escalão do Shogunato e de poucas posses.

Referência ao seriado no começo do filme

Eventualmente ele se deparava com irregularidades, como bandidos que oprimiam o povo e magistrados corruptos usando seus poderes para causa própria. Yoshimune fazia as investigações incógnito com a ajuda de dois ninjas Oniwabanshu (geralmente um homem e uma mulher) e após reunir as provas, invadia a casa dos malfeitores e revelava sua verdadeira identidade como a autoridade máxima do Shogunato Tokugawa, dando-lhes sentença. Algumas vezes, os criminosos reagiam e tentavam matar o Shogun, que então sacava sua espada e enfrentava a corja com o estilo Yagyu Shin Kage Ryu. Mas ao lutar, Yoshimune invertia a lâmina, usando o lado cego para nocautear seus inimigos sem matá-los. Só que quando se tratava de um vilão imperdoável, o Shogun dava a ordem 成敗 (Seibai, "Punição") para que os Oniwabanshu o executassem.

Apesar de ser mais recente que as séries Kamen Rider e ter uma fórmula mais simples, o seriado fez grande sucesso com o público adulto, que sentia grande catarse ao ver o "Ue-sama" (uma das maneiras de se referir ao Shogun) punir os malfeitores.

Este é o seriado que fez o nome de Ken Matsudaira, ator e cantor multi-talento, apelidado pelos fãs de "Matsuken". O ator tem um excelente condicionamento físico, que pode ser visto nas cenas de luta do seriado e também na dança, com um de seus grandes sucessos como cantor, o Matsuken Samba, no qual ele demonstra um invejável jogo de cintura. E mesmo na casa dos 50 anos de idade, quando ele fez o filme, Matsudaira mostra que ainda está em forma.

Tokuda, ou melhor, o Shogun Yoshimune Tokugawa, vem para ajudar OOO! Nessa hora é tocado o marcante tema do seriado clássico!
O Herói do Jidaigeki e o Herói do Tokusatsu, juntos!
Os oponentes são monstros, mas mesmo assim o Shogun vira a lâmina ao contrário, com a face cega para fora.
Para lutar, um Samurai deixa o braço livre.
Nas cenas de close são usados os efeitos sonoros da época.
BuraKaWani Combo, forma exclusiva do filme
- SEIBAI!
O golpe especial Warning Ride!

O Shogun parte, deixando a paz do país com Eiji. Nisso surge uma das Bell para fazer a Pergunta da Tentação, a mando de Gara, que foi desafiado por Kougami a fazer o jogo do "Sim ou Não" com Eiji.


O Herói Eiji Hino

A proposta é simples: Eiji pode voltar à sua era, mas em troca, todas as outras pessoas do mundo desaparecerão. Eiji se mostra tentado a aceitar, mas antes ele impõe uma condição, alterando levemente a proposta, o que é acatado pela Bell. E finalmente Eiji diz "Sim". Gara gargalha em triunfo, mas percebe que há algo errado. São geradas mais Cell Medals que seu engenho pode suportar e ele acaba quebrando. Não só isso, como ninguém desaparece e o mundo não acaba. Tudo foi um engodo tramado por Eiji.

- Esse é o meu Desejo! E tem que ser assim para satisfazê-lo!
- MARAVILHOSO!!!
Esse é o significado do "WONDERFUL" do título do filme

Esta cena resume o personagem "Eiji Hino", na qual ele negocia com seus oponentes e conduz a situação a seu favor para salvar todo mundo, usando seu verdadeiro desejo para isso. E Eiji mostra que esse desejo não é algo da boca para fora, mas sim o que ele pensa de verdade, do fundo do coração. Esse engodo é algo que somente Eiji Hino poderia fazer, mostrando de uma vez por todas que ser um "cara legal" não significa ser otário. Nessa para mim, ele se consagrou como um verdadeiro Herói, único, inimitável.

O diálogo de Gara com Kougami me lembra uma aposta entre dois seres superiores (um Deus e um demônio, ou dois demônios) para decidir o destino do mundo. Gara quer usar os desejos humanos para destruir tudo, enquanto Kougami acredita firmemente que eles são a chave para a salvação da humanidade. Achei essa parte bem interessante e isso também resume o personagem de Kougami, além de tocar no tema do seriado, que é a questão dos desejos humanos serem algo bom ou ruim.

Em direção à batalha final

Depois disso o filme acaba esfriando um pouco. A luta final é espetacular, com bastante computação gráfica, mostrando a forma final de Gara como uma ameaça gigante. Mas a sensação é de que a apoteose já passou, com a aparição do Shogun e da revelação do desejo de Eiji. Tem até uma cena com o Kamen Rider Fourze, mas é mero acessório, apenas para apresentar o próximo herói da franquia.

- Um Kamen Rider?
- RIDER ROCKET PUNCH!!!

As cenas com o Fourze foram dirigidas por Koichi Sakamoto, usando bastante wire action, que é o estilo do diretor.

Obs.: por alguma razão, o Google atribui a direção do filme erroneamente a Sakamoto, mas o diretor principal mesmo é Takayuki Shibazaki.

Gentaro Kisaragi/Kamen Rider Fourze (Souta Fukushi), estreante, ainda sem o característico topete e sem domínio do personagem.
O "Cumprimento da Amizade" de Gentaro

Esse é o meu filme favorito da franquia. Ele mostra bem o tema do seriado Kamen Rider OOO e ainda traz um cross-over muito mais improvável que Gokaiger vs Gavan, muito antes desse outro filme. E esse cross-over é muito bem executado, com ambos os Heróis mostrando o seu valor, mesmo sendo de gêneros diferentes e que a primeira vista não têm nada em comum (na verdade vários elementos dos Heróis de Tokusatsu têm origem no Jidaigeki). É um filme festivo, sem grandes tensões ou urgências, mas que traz uma mensagem com o gesto de todos se darem as mãos.

Um pequeno gesto...
... que mais tarde teria um grande significado.
Uma promessa...
... que o Herói vai cumprir, custe o que custar.

E essa mensagem, assim como o tema, são bem definidos e seguidos até o fim, no roteiro da habilidosa e renomada Yasuko Kobayashi, trazendo catarse, ainda que no meio do filme, sabendo usar bem o pouco tempo de duração de apenas 66 minutos. Um filme que tem a passagem de um legado (do Shogun para o Kamen Rider) e que tem como tema a Família, conforme mostrado pelo menino Shun e também por Eiji. A presença do "Ue-sama" faz com que o filme seja atrativo para o público mais velho, unindo não só os gêneros, como também as gerações, agradando tanto as crianças, como também os pais e até mesmo os avós. De fato, atualmente o filme ocupa o segundo lugar de bilheteria da franquia. Eis aqui um filme que faz jus ao seu título.




Nos Bastidores - Comentários de Áudio


O filme foi feito em comemoração aos 40 anos da franquia e exibida junto com o especial de cinema de Gokaiger. Ambos os filmes tiveram versões em 3D, disponíveis em Blu-Ray. A versão que comprei é a Director's Cut, com mais 7 minutos extras. Em uma das cenas adicionais, Shun conta a Eiji que Tokuda é o Shogun. E em outra, Hina cobre Ankh, que está dormindo, o que mostra um pouco da curiosa relação entre a heroína e o Greeed que ocupa o corpo de seu irmão.

Também existe um canal de áudio com comentários do diretor do filme, Takayuki Shibazaki e dos atores Shu Watanabe, que interpretou Eiji/OOO e Ryousuke Miura, que foi Ankh.

O diretor relata as dificuldades de se fazer o filme na época, em que havia acabado de ocorrer o Grande Terremoto de 2011, no qual morreram muitas pessoas. Por causa disso, não seria possível mostrar uma grande catástrofe no filme e nem mortes. Por isso eles optaram por uma linha mais fantasiosa e com um espírito de solidariedade, condizente com a época.

As filmagens foram feitas em Kyoto e em Tóquio, inclusive na Vila Cinematográfica da Toei, em Uzumasa. E algumas cenas foram feitas em áreas atingidas pelo Terremoto. Nisso, a própria Toei contratou pessoal para fazer reparos nas casas para as filmagens, mas ainda assim é possível notar falhas, por exemplo nos telhados.

Note o telhado da casa, que ainda apresenta danos
É bastante elogiado o trabalho do ator mirim Taiki Negishi, apelidado carinhosamente de "Negi-chan", que mostra bastante talento.
É contado que os figurantes desta cena são todos fãs do seriado e só um deles é profissional, o ator Mitsuru Karahashi, que aparece em primeiro plano. No fundo, é possível ver as Rider Girls.
Uma das cenas favoritas de Shibazaki, ao por-do-sol, com Ankh no telhado e com flores de cerejeira no fundo.
Miura conta que no começo via Watanabe apenas como um colega de trabalho e tinha até atritos com ele, mas com o tempo os dois se tornaram amigos de verdade, mais ou menos como aconteceu com seus personagens, Eiji e Ankh. E os dois ainda se falam, como neste tuíte, em que Miura conta que Watanabe foi para a Indonésia e encontrou brinquedos do Kamen Rider OOO, que faz um enorme sucesso nesse país.

A vinheta de encerramento, feita com animações resumindo o filme, desenhada como uma xilogravura japonesa, ao som de Te wo Tsunagou ~ Matsuken X Kamen Rider Samba, baseado no grande sucesso do ator Ken Matsudaira.





Se der tudo certo, na semana que vem fecho o Festival de Cinema com este filme:


4 comentários:

  1. Esse filme é um dos meus preferidos! E a música tema é uma das principais canções que já ouvi na vida. Acho que ela transmite bem a "alegria" do OOO, que é um Kamen Rider de "alma brasileira" em quase todos os sentidos.

    Só não entendi pq a cena em que o Eiji Hino "acorda" no Brasil ocorre no final do filme-crossover com o W (com a Chiyoko Shiraishi o convidando para o Carnaval) e não nesse. Tem muito mais a ver (inclusive com o clipe oficial do filme).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Bruno Seidel!

      As canções da série Matsuken Samba são muito boas e essa versão não é exceção! E vendo bem é verdade. OOO é bem brasileiro. Isso é bem do Eiji, que viajou por várias partes do mundo, tendo contato com várias culturas.

      Acho que não haveria tempo hábil para mandar o Eiji para o Brasil de novo. E não teve necessidade dele usar aquele chute que atravessa a Terra. Se bem que podia ser uma boa "piada de rotina", com o OOO vindo parar aqui no fim de todos os filmes que ele participa. Vamos ver se um dia rola um Taisen com o OOO, o ZX e o Black dando as caras por aqui.

      Excluir
  2. Esse filme parece bem interessante! Legal essa mistura de Kamen Rider com Japão Feudal. Um dia eu assisto esses Kamen Rider tudo e pego esses filmes hehehe.

    O Yoshimune Tokugawa é foderoso! Esse tem o direito de ser chamado de Sho-chan! E dá pra ver como o Sho-chan de Gintama tem certa inspiração nele, apesar de ser baseado no Iemochi Tokugawa, dá pra ver claramente detalhes similares entre o Sho-chan e o Yoshimune, como ter contato com o povo, e ser próximo do Oniwabanshu. Bom, não é a toa que eles são todos Tokugawa XD
    Opa, acabei falando mais de Shoguns do que de Riders hahahaha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse filme é bem legal. A parte do Eiji enganando os inimigos é o grande negócio. E a parte do Shogun, é claro!

      Na verdade era para eu colocar uma foto com uma legenda escrita "SHOGUNKAYOOOO!!!", mas acabei esquecendo. A única referência de Gintama que acabei colocando foi a de "deixar o braço livre".
      Eu não duvido que o Sorachi tenha se inspirado nesse personagem para fazer o Sho-chan. Quando vi o Sho-chan em Gintama pela primeira vez me assustei com a semelhança de personalidade. Considerando que Abarenbou Shogun é bem popular, acho que é isso mesmo. Talvez tenham dito que a base era Iemochi para adequar a época.
      Ah, e foi Yoshimune quem instituiu o Oniwabanshu. Para ver o quanto ele é próximo. E no seriado, Yoshimune até impediu um deles de cometer suicídio por ter falhado, dizendo algo que o Sho-chan provavelmente diria.

      Excluir